PromoçãoFUNBIO Fundo Brasileiro para a Biodiversidade
 
Parceiros:
 
  • FUNBIO Fundo Brasileiro para a Biodiversidade
  • BASA Banco da Amazônia
  • EMBRATUR Instituto Brasileiro do Turismo 
  • FINEP Financiadora Nacional de Estudos e Projetos
  • MMA Ministério do Meio Ambiente.
Execução: Instituto EcoBrasil
 
Formatação Manuais MPE: Imaginatto Design e Marketing
 
 
Nos últimos anos, o Ecoturismo tem sido visto como alternativa econômica e importante ferramenta para a conservação nos destinos turísticos onde ocorre.
 
Apesar de que todo fluxo turístico ter “custos” que podem vir a causar impactos negativos ambientais e/ou culturais, o Ecoturismo, quando operado adequadamente com atenção às boas práticas, traz benefícios e pode ter eventuais impactos negativos controlados, especialmente se comparados a outros setores produtivos tais como agricultura, pecuária, garimpo ou extração de madeira.
 
São inegáveis as potencialidades do ecoturismo no Brasil, face ao formidável conjunto de recursos naturais, salubridade do clima, cultura e gastronomia, requerem políticas de desenvolvimento dessa atividade que implicam investimentos dos setores público e privado. Trata-se de atividade complexa, de importância crescente e de expressivo potencial de impacto ambiental e socioeconômico. 

Equipe de Coordenação do Programa MPE
 
Funbio  Pedro Leitão, secretário geral
  Maria Clara Soares, coordenadora de programas
   
EcoBrasil Roberto M.F. Mourão, diretor técnico
  Ariane Janér, finanças / marketing
  Marcos Martins Borges, capacitação
 
O Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), dentro dos marcos de sua missão institucional de “viabilizar iniciativas estratégicas de conservação e uso sustentável da biodiversidade”, visando ações futuras, contratou no final de 1999, estudo com o objetivo de analisar e obter subsídios sobre ecoturismo e turismo sustentável, à luz do vigente cenário das políticas nacionais, agentes financeiros, recursos disponíveis e perspectivas do setor; buscando saber quais ações e áreas prioritárias necessitavam de complementação e qual seria o papel da organização para estabelecer o turismo responsável e sustentável no Brasil. 
 
Identificou-se a Capacitação e o Treinamento em Boas Práticas para o Ecoturismo, como atividades de necessidade imediata, em especial atenção para regiões remotas do país, atendendo a projetos com produtos turísticos com bases econômica, sociocultural e ambientalmente sustentáveis. Por esse motivo, o Funbio decidiu por desenvolver o Programa de Melhores Práticas para o Ecoturismo - Programa MPE.
 
Fundo de Parceria
 
O Funbio formou um Fundo de Parceria de R$ 1.980.000,00 (um milhão, novecentos e oitenta mil reais), que para complementar os recursos necessários para a implementação do Programa, teve a adesão do Banco da Amazônia - BASA, do Instituto Brasileiro do Turismo - Embratur, do Ministério do Meio Ambiente - MMA, e da Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP. Além dos parceiros-financiadores, o Programa contou com o apoio da Reserva Natural da Vale do Rio Doce e da Varig Linhas Aéreas, que, respectivamente, reduziram custos para o fornecimento de serviços de alimentação, hospedagem e transporte aéreo de coordenadores, consultores, instrutores e monitores.
 
  PARCEIROS Cota R$ Atuação
  FUNBIO I    330.000 Brasil
  FINEP    410.000 Brasil
  BASA Banco da Amazônia    180.000 Amazônia
  EMBRATUR I    240.000 Projeto Polos de Ecoturismo
  EMBRATUR II      90.000 Manual MPE
  MMA Ministério do Meio Ambiente SDS    335.000 Delta do Rio Parnaíba
  MMA Ministério do Meio Ambiente SE    195.000 Brasil
  FUNBIO II    200.000 Avaliação / Transição
Total 1.980.000  

 
Programa MPE
 
  1. Planejamento / Cronograma de Implementação
  2. Polos Ecoturísticos de Implementação / Cronogramas
  3. Pesquisa de Demanda por Capacitação
  4. Seleção de Candidatos a Monitores
  5. Manual MPE Planejando o Manual
  6. Manual MPE de Boas Práticas
  7. Programa MPE Agenda / Grade Currícular
  8. Programa MPE Matérias e Instrutores
  9. Programa MPE Instrutores
  10. Capacitação e Treinamento - Resultados

 

1ª Turma de Monitores do Programa MPE, Reserva Natural da Vale, Linhares, ES
 
De cima para baixo, da esqueda para a direita:

Luiz Peixoto, Maxwell Verpa, Frederico Landre, Alexandre Cuellar, Renato Scala, Roberto Mourão (diretor Programa), Rafael Cuellar, Aparecida Arguello (instrutora), Luciana Martins (coordenadora do Programa), Flávia de Mattos, Evandro Sanguinetto, Juliane da Solar, Carolina Idalino, Silvia Barguil (coordenadora de campo), Ezequiel Fiorese, Viviane Daufemback, Andrea Zimmermann, Joana de Araújo, Vinicius Feijó Pinto, Serafin Layola, Rogério Mucugê, Viviane Moreira, Robson Soares. Faltou Cassio Honório (não está na foto).

 
 
O Programa MPE atingiu os objetivos propostos, envolvendo a preparação de monitores, de forma a trabalhar em equipes de trabalho multidisciplinares, com as habilidades e experiências adquiridas, atingindo a proposta de “aprender-fazendo” (hands on), sendo pioneiro em conteúdo e formato no Brasil e na América Latina.

 
Transição FUNBIO > EcoBrasil
 
Em 2003, após a avaliação e prestação de contas aos parceiros-financiadores, o FUNBIO transferiu o Método do Programa MPE para o Instituto EcoBrasil, autorizando-o a implementar os cursos e treinamentos quando necessário e oportuno, dando continuidade ao programa-piloto.