CATEGORIA ECOBRASIL

logo fundraising


Captação de Recursos

Fonte: Manual Turismo de Aventura - Busca e Salvamento
Autor: Roberto M.F. Mourão, EcoBrasil

 

"Captação de Recursos é o processo de solicitação de apoio financeiro (geralmente como doações) por uma causa não comercial." (Process of soliciting financial support - usually as grants, for a non-commercial cause.) Business Dictionary
          


Doadores Potenciais
(Principais doadores, lista parcial)
 

ABC Agência Brasileira de Cooperação - MRE
Cooperação técnica internacional do Ministério das Relações Exteriores -MRE (Itamaraty). O financiamento se dá por meio da prestação de serviços, traduzida pela presença de profissionais, treinamento no exterior de RH e eventual doação de equipamentos. Como contrapartida, exige-se infra-estrutura e pessoal.

Aid to Artisans
Apoio a arte e programas culturais.

Instituto ALCOA
Arte, programas culturais, educação, desenvolvimento da comunidade, administração pública e governamental.
Criado em 1990, o Instituto Alcoa tem como principal objetivo melhorar a condição de vida das comunidades onde a companhia e suas subsidiárias atuam. Por meio de programas sociais e a partir de doações das empresas do grupo, além de recursos adicionais provenientes da Alcoa Foundation, o Instituto financia projetos que atendam às reais necessidades e carências das comunidades.

ASHOKA Brasil
Indivíduos - empreendedores sociais.
Em sânscrito – língua indo-européia de registro escrito mais antigo – Ashoka significa “ausência de sofrimento”. A Ashoka é uma organização mundial, sem fins lucrativos, pioneira no campo da inovação social e trabalho e apoio aos empreendedores sociais – pessoas com idéias criativas e inovadoras capazes de provocar transformações com amplo impacto social. Criada em 1980, a Ashoka teve seu primeiro foco de atuação na Índia. Presente em mais de 60 países e no Brasil desde 1986, a Ashoka é pioneira na criação do conceito e na caracterização do empreendedorismo social como campo de trabalho.

BNDES Banco de Desenvolvimento Econômico Social
Expansão e melhoria da qualidade da infra-estrutura urbana e dos serviços sociais básicos; manutenção e criação de oportunidades de trabalho e geração de renda; modernização da gestão pública e fomento do investimento social das empresas.

BASF Doações
Cidadania, desenvolvimento social,cultura e meio ambiente.
A Basf recebe, para análise, solicitações de doação de produtos ou bens duráveis, desde que enviadas por instituições sociais sem fins lucrativos, registradas e sem vínculo religioso ou político.

BASF Fundação Espaço Eco
A Basf deu início o projeto que levou à instituição da Fundação Espaço Eco, idéia de um colaborador que participou do programa de sugestões da empresa, era ter um espaço que seria dedicado a atividades de educação ambiental aos colaboradores e à comunidade.

CÁRITAS Brasileira
Promoção humana e solidária, crianças e adolescentes, situações emergenciais.
A Cáritas Brasileira faz parte da Rede Caritas Internationalis, rede da Igreja Católica de atuação social composta por 162 organizações presentes em 200 países e territórios. Atua na defesa dos direitos humanos e do desenvolvimento sustentável solidário na perspectiva de políticas públicas, com uma mística ecumênica. Seus agentes trabalham junto aos excluídos e excluídas, muitas vezes em parceria com outras instituições e movimentos sociais. Atualmente, a Cáritas Brasileira tem quatro diretrizes institucionais: defesa e promoção de direitos; incidência e controle social de políticas públicas; construção de um projeto de desenvolvimento solidário e sustentável; fortalecimento da Rede Cáritas.

CNRS Centre National de la Recherche Scientifique
(Centro Nacional da Pesquisa Científica)
Centro de intercâmbio de pesquisadores e programas relacionados a pesquisa científica.

Comissão / Programa FULBRIGHT
O Programa Fulbright oferece bolsas de estudos para estudantes de pós-graduação e professores em todas as áreas do conhecimento.
Até hoje, 3000 brasileiros puderam estudar e viver nos Estados Unidos e 2500 norte-americanos vieram fazer o mesmo no Brasil. O programa de intercâmbio educacional e cultural do governo dos Estados Unidos da América, amplamente conhecido como Programa Fulbright, foi estabelecido em 1946, destina-se a ampliar o mútuo entendimento entre o povo dos Estados Unidos da América e de outros países. O Programa já concedeu mais de 255 mil bolsas de estudo, pesquisa e docência a cidadãos americanos e de outros 150 países participantes.

DUPONT Responsabilidade Social
Arte/cultura, hospitais, organizações de saúde, mulher, minorias e política pública.
A DuPont está comprometida em melhorar as condições de vida das pessoas através de programas sustentáveis junto a comunidade em que opera, aumentando o acesso às oportunidades, revitalizando comunidades, ajudando-as a alcançar auto-suficiência, e liderando esforços na melhoria e proteção do meio ambiente.

Embaixada da Alemanha
Divisão de Cooperação e Técnicas Financeiras.
Apoio financeiro a projetos de pequeno porte, nas áreas social, de saúde, educação e agropecuária que beneficiam a população mais carente.

Embaixada da Austrália
Projetos de cunho eminentemente social, administrado por entidades não-governamentais e objetivando o desenvolvimento direto da comunidade

Embaixada do Canadá
Projetos de ongs voltados para as áreas de saúde, nutrição, educação e direitos humanos, com prioridades para as regiões Norte/Nordeste e periferias das grandes cidades brasileiras

Embaixada do Reino Unido
Projetos de ongs nas áreas de direitos humanos - crianças de ruas, saúde comunitária, planejamento familiar, desenvolvimento sustentável; questões indígenas.

 

logo atencao Atenção: lista parcial.

Veja lista no Manual Criação e Manutenção de Grupos Voluntários de Busca e Salvamento

 

Captação de Recursos

 

 

logo fundraising


Captação de Recursos

Fonte: Manual Turismo de Aventura - Busca e Salvamento
Autor: Roberto M.F. Mourão, EcoBrasil

 

"Captação de Recursos é o processo de solicitação de apoio financeiro (geralmente como doações) por uma causa não comercial." (Process of soliciting financial support - usually as grants, for a non-commercial cause.) Business Dictionary
          

Captação de Recursos no Brasil

A Captação de Recursos no Brasil tem sido o grande desafio das organizações sociais e ambientalistas.

Primeiramente, porque essas instituições sustentam-se basicamente por meio de doações. Depois, as habilidades de captação de recursos junto ao governo, organizações multilaterais e setor privado são precárias.

Há pouca prática e conhecimento por parte das entidades no estabelecimento de relações e parcerias capazes de minimizar custos e esforços, bem como garantir resultado mais relevantes dos programas e projetos. Muitas das Ongs brasileiras sustenta-se com recursos externos.

A atividade de captação de recursos nunca esteve tão em evidência no Terceiro Setor como nos últimos anos. Cursos de formação nesta área se espalham pelo país e a busca por profissionais qualificados também tem aumentado. O motivo para tal postura adotada pelas entidades não poderia ser outro: o Terceiro Setor cresceu no país e, com isso, a concorrência entre as organizações por um apoio e recursos financeiros, também. São muitas as entidades em busca de verba para seus projetos e atividades.

captacao recursos cenarios

De acordo com uma pesquisa divulgada no final de 2004 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2002, existiam mais de 250 mil instituições privadas sem fins lucrativos no país. Nos últimos seis anos, o número de organizações sociais no Brasil subiu 157%: pulou de 107 mil para 276 mil. Além disso, as entidades que têm como foco o desenvolvimento e defesa dos direitos quadruplicaram no período: 11 mil para 45 mil. Entre as que defendem direitos, destacam-se centros e associações comunitários (23,1 mil, com crescimento de 335%). E tudo isso ocorreu recentemente. O estudo do IBGE aponta que as organizações do Terceiro Setor em geral são novas: 62% foram criadas após 1990.

Uma pesquisa realizada por Lygia Fontanella a 546 fundações internacionais pesquisadas, apenas 20% têm algum interesse em investir no Brasil. A economista lembra ainda que as agências internacionais, ligadas a ONU, como a Unicef, a FAO, a Unesco, preferem investir em pequenas organizações. As grandes entidades têm chances de se destacarem nessa concorrência se atuarem da área ambiental. Mas, internamente, as empresas estão investindo cada vez mais.

De acordo com a V Pesquisa Nacional Sobre Responsabilidade Social, divulgado em julho de 2004 pelo do Instituto ADVB de Responsabilidade Social, houve um aumento de 61% do investimento em projetos sociais realizados pelas organizações: cerca de R$ 400 mil a mais no ano de 2003 do que foi investido em 2002. Das empresas que responderam ao questionário, 89% desenvolvem ações sociais voltadas à comunidade e 64% incentivam a participação de funcionários-voluntários nestas atividades. E isso se reflete até mesmo nas microempresas. Segundo dados apresentados em fevereiro pelo IPEA, a contribuição das empresas - com um a 10 empregados - aumentou 15% no Sudeste e 29% no Nordeste. Elas representam cerca de metade do total de empresas. No Nordeste, a participação das empresas com mais de 500 empregados cresceu 49% entre 1999 e 2003, de 63% para 94%, próximo da participação das grandes empresas do Sudeste, 96%.

O fortalecimento e crescimento do Terceiro Setor levaram a profissionalização da gestão das organizações sem fins lucrativos. Este processo de profissionalização, ainda em curso, coloca em evidência duas áreas em específico: elaboração de projetos e captação de recursos.

O Terceiro Setor como um todo está se profissionalizando. Isto se deve em parte a sua expansão e fortalecimento e, em parte, a pressão dos doadores. Uma empresa quando começa a doar exige projetos bem elaborados, planos de avaliação, entre outros. O doador está mais profissionalizado e ele começa a exigir também das organizações esse profissionalismo.

As profissões de elaborador de projetos e captador de recursos são quase que exclusividade do Terceiro Setor. São carreiras que nasceram no Terceiro Setor, são específicas do Terceiro Setor e que exigem conhecimento específico.

As organizações despertaram, de repente, para essas carreiras, pois antes de pensar em ter uma outra vaga de especialista, por exemplo, elas pensam em alguém que capte recursos. Não necessariamente contratam um funcionário especial para captar recurso, mas pelo menos irão pensar uma pessoa que possa alocar metade do seu tempo para fazer este serviço.

Além da identificação da importância deste profissional para a sobrevivência da entidade, temos de levar em conta que, em 1995, havia cerca de 250 mil organizações da sociedade civil registradas. Hoje, com o aparecimento de outras tantas organizações da sociedade civil, esse número pula para quantos mil? E o volume de dinheiro doado por empresas e indivíduos não cresceu tanto assim.

Há uma atenção maior à captação de recursos, à busca de mais captadores de recursos, mas não se sabe ao certo se foi à concorrência e a falta de dinheiro que fortaleceu a área, ou se esta ganhou visibilidade por ser fundamental do ponto de vista estratégico.

É preciso destacar que, como a forma de captação de recursos faz parte da estratégia de atuação das organizações, o que funciona para algumas não funciona necessariamente para outras. O Greenpeace, por exemplo, não aceita doações de empresas privadas ou de governos. Sua base de captação de recursos é doações de pessoas físicas identificadas com sua causa e com seu modo de ação. Já, outras organizações, como o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, têm como base de sua captação de recursos a doação e patrocínio de atividades por parte de empresas privadas.

Definir os potenciais financiadores é tarefa que não pode faltar num plano de captação. É preciso encontrar os doadores adequados para cada área. Por isso, é preciso conhecer muito bem a missão, os objetivos e metas da entidade.

Dentro de uma mesma área, por exemplo, como "criança", é preciso focar: é bebê, primeira infância ou creche?

Ou, na área ambiental, “vida silvestre”, o que se focará - espécies da fauna (mico-leão-dourado ou tartarugas) ou da flora (desmatamento, degradação ambiental ou recomposição de matas ciliares)?

A estratégia pode ser diferente também levando em conta o porte da entidade.

 

Captação de Recursos

 

 

logo fundraising


Captação de Recursos

Fonte: Manual Turismo de Aventura - Busca e Salvamento
Autor: Roberto M.F. Mourão, EcoBrasil

 

"Captação de Recursos é o processo de solicitação de apoio financeiro (geralmente como doações) por uma causa não comercial." (Process of soliciting financial support - usually as grants, for a non-commercial cause.) Business Dictionary
          

Conselhos Preliminares

Por um lado, existem recursos, mas faltam bons projetos. E mais do que bom projetos, falta eficiência e eficácia no uso do dinheiro. Se tivermos mais dinheiro doado, com um olhar de eficiência e eficácia, teremos mais benefício ambiental ou social.

captacao recursos estrategiaMuitas idéias criativas de captação de recursos, por serem exaustivamente reaplicadas, deixam de ser inovadoras, perdendo o impacto frente aos financiadores. Em função disso, muitas entidades acabam por "proteger" e não divulgar suas estratégias de captação de recursos.

As entidades devem se preocupar em preservar suas técnicas inovadoras de captação de recursos. Uma análise do perfil do profissional que trabalha no setor privado, no setor público e na sociedade civil revelou que a informação no setor privado é uma informação privada. Mas em uma organização sem fins lucrativos, a informação é pública. Uma organização sem fins lucrativos, de interesse público, tem que ter transparência nas informações, por exemplo, informar de onde ela recebeu os recursos. Infelizmente muitas organizações são especiais em compartilhar informações sobre tudo, mas sobre dinheiro, não tem nem relatório.

Hoje, temos que cobrar uma co-responsabilidade, os doadores também devem saber o que está sendo feito com o seu dinheiro e devem participar disso. Muitas organizações hoje são muito mais transparentes nesse sentido. Mas isso ainda é um processo que leva tempo, é um processo do doador cobrar e da organização ser mais transparente.

 

Tipos de Organizações

captacao recursos ngoAs organizações envolvidas com captação de recursos podem ser divididas em:

  • Organizações de Serviços (creches, Apae)


Advocacy, termo do idioma inglês, significa defender uma idéia, uma causa - uma organização que tem como cerne de sua atuação o advocacy objetiva a negociação em favor de políticas públicas equitativas e democráticas e o estabelecimento de ações de modo a influenciar a formulação e execução das mesmas.

Numa organização de apoio é muito comum que uma parcela alta recursos venha de apoio técnico e cursos, mas dificilmente captar recursos com indivíduos. Já uma organização como a Apae, uma creche, tem uma grande parcela de doações de indivíduos, uma boa parte do governo, uma parcela de empresas e um pouco de eventos. É um outro tipo de estrutura de captação. Numa organização de advocacy, provavelmente, a maior parte dos recursos vai ser de agências internacionais e cada organização vai ter uma estratégia.

As organizações dependem da sua missão para explicar o que são, o que fazem e o que desejam fazer ou ser. A missão declarada é normalmente escolhida pelo corpo diretor que é geralmente composto por seus diretores e pelos membros mais qualificados da sua equipe. A missão declarada pode ser extremamente valiosa para a organização. Ela molda, forma e dirige o propósito de sua existência.

Entretanto, mesmo a missão mais poderosa e maravilhosa assim como as metas dela derivadas somente serão realizadas se houverem recursos financeiros disponíveis para que a organização a desempenhe.

Há três questões básicas a responder:

  1. Os objetivos da organização são consistentes com seus recursos financeiros?
  2. Há um casamento apropriado entre fontes e gastos?
  3. A organização é sustentável?

A terceira questão é a mais crucial para a viabilidade a médio e longo prazo de organizações. Estas questões podem prover um enfoque para uma análise crítica de uma organização.

Os esforços de captação de recursos podem ser classificados como filantropia ou podem ainda, com frequência, ser classificados como renda. Os esforços de captação de recursos desempenham um papel importante no sucesso de uma organização sem fins lucrativos. A captação de recursos deve ter um propósito e uma necessidade identificáveis.

Na escolha de um projeto de captação de recursos é importante examinar os esforços de captação realizados anteriormente, assegurando-se de que o esforço de captação é viável para o mercado. O que dá a uma idéia mérito e justifica o compromisso do doador? Se o plano não for pensado exaustivamente será difícil alcançar as metas financeiras determinadas para o esforço de captação de recursos.

Para que obtenha o máximo de apoio, um objetivo de captação de recursos deve estar relacionado com a missão da ong. Quando estiver formando o conceito da captação de recursos tenha em mente que diferentes objetivos requererão diferentes estratégias. Avalie cuidadosamente quanto dinheiro sua organização precisa captar para atingir seu objetivo. Determine todos os custos não somente para a realização do objetivo, mas também os custos envolvidos no próprio processo de captação. Peça o que sua organização realmente precisa, mas por outro lado, atenha-se a realidade.

A captação de recursos pode dar-se de muitas formas. As anuidades pagas pelos membros associados é um esforço de captação e pode constituir uma base financeira para a organização. Entretanto assegure-se de conhecer os custos embutidos nos serviços que estão sendo oferecidos aos seus membros associados.

Estes recursos são destinados aos programas e serviços de rotina oferecidos por sua organização. Estas campanhas podem ajudar a construir uma base sólida para os esforços de captação.

Muita atenção aos recursos captados junto a associados - anuidades, mensalidades, sobretudo se forem de pequena monta. Uma análise realizada por uma ong européia, revelou ser mais interessante financeiramente pagar por ano € 4 (quatro euros) a cada associado do que captar anuidades, face aos custos de manutenção de mala direta, relacionamento institucional e gestão destes recursos. Associados são importantes para legitimar e mobilizar em nome de uma organização ou causa, mas entre “viver” de suas contribuições e captar por meio de outras estratégias - eventos, campanhas, etc., que tem-se mostrado mais eficiente e seguro, prefira as ultimas.

Os erros mais comuns cometidos pelas entidade na hora de captar recursos é a falta de um bom planejamento, de um bom orçamento por trás e saber parar um projeto se o dinheiro não tiver sido captado.

Questione

Antes de iniciar qualquer esforço de aproximação para captação deve-se questionar:

  1. se determinada instituição de fomento ou financiamento pode fazer uma doação à sua ong
  2. se sua ong tem a ver com o que a instituição apoiadora ou financiadora
  3. caso as questões anteriores forem satisfeitas, se a instituição está interessada em sua proposta.

É preciso que a captação de recursos seja tratada juntamente com a gestão de projetos, para que as entidades tenham apoio no processo de crescimento, formação, fortalecimento e a conseqüente solidez financeira institucional.

Sua proposta para interessar, resumidamente, deve, ser exequível e estar claramente exposta, além disso, devemos ter em mente os pontos que são analisados nas propostas e projetos.

captacao recursos check list clipPontos a se observar

Quanto à Instituição

  • busca analisar adequadamente a importância da proposta / projeto?
  • busca analisar a exiguidade de uma proposta, quando inovadora?
  • como será a continuidade da proposta? (transcende pessoas e o período do projeto)?
  • a proposta pode ser replicada?

Quanto aos Envolvidos

  • qual a capacidade de liderança de quem propõe?
  • qual a capacidade da gestão dos recursos e execução?
  • tem experiências anteriores de sucesso?

Saiba que

  • captacao recursos handshá muita competição - há muito mais gente buscando recursos do que doando
  • doadores tendem a direcionar recursos onde a necessidade é maior (pobreza, degradação, etc.)
  • doadores tem que decidir onde colocar recursos entre varias idéias
  • a maior parte dos pedidos é declinada - não desista ao ouvir o primeiro “não”.

Atenção

  • não subestime a capacidade de análise dos doadores
  • nunca inflacione os custos de sua proposta
  • evite pedir de uma vez tudo o que planeja fazer - não se exceda no pedido
  • não tente resolver todas as necessidades “reprimidas” de sua organização através de uma única proposta.

Sempre

  • captacao recursos carregando sacopeça somente o necessário para suas necessidades conforme sua capacidade de gestão
  • mostre claramente que sua organização está qualificada para cumprir o prometido, isto é: executar atividades e entregar o que se comprometeu: um produto, realizar uma atividade, etc.
  • mostre que sua proposta / idéia se sustentará quando terminar o projeto / doação
  • estabeleça sempre uma gestão transparente, construindo uma relação de confiança mutua com o doador.

 

Captação de Recursos

 

 

logo fundraising


Captação de Recursos

Fonte: Manual Turismo de Aventura - Busca e Salvamento
Autor: Roberto M.F. Mourão, EcoBrasil

 

"Captação de Recursos é o processo de solicitação de apoio financeiro (geralmente como doações) por uma causa não comercial." (Process of soliciting financial support - usually as grants, for a non-commercial cause.) Business Dictionary
          

Planejamento Estratégico

A estruturação de um Plano Estratégico para Captação de Recursos é um dos maiores desafios das organizações sem fins lucrativos.

captacao recursos planingA maior parte dos projetos ambientais ou sociais surge dos ideais de um empreendedor que, notando uma necessidade em uma determinada comunidade, começa a mobilizar recursos para criar projetos ambientais ou sociais que resolvam ou, pelo menos, minimize aquele problema. Quando esta decisão é tomada, é natural imaginar, que o empreendedor esteja muito envolvido com este tema e que acredite que sua ação pode fazer uma grande diferença para aquela comunidade.

Se ele está tão convencido disso, é natural pensar que não deve ser difícil motivar outras pessoas a se envolverem com a mesma causa e encontrar parceiros que estejam interessados em apoiar este projeto.

Então a captação de recursos deveria ser uma coisa simples, quase uma conseqüência natural da estruturação de um projeto social.

Na captação de recursos, vale o mesmo princípio. Se não sabemos onde queremos chegar, será difícil decidirmos quem são os parceiros mais adequados, que métodos de captação serão mais eficientes, etc. Por isso, a forma mais segura de tornar a captação de recursos uma atividade simples é fazer um planejamento estratégico do seu projeto social.

 

Como fazer o Planejamento Estratégico

Basicamente, o Planejamento Estratégico é um levantamento organizado de informações que ajudará a definir os caminhos a serem seguidos.

O ideal é que a organização comece pelo detalhamento do seu projeto respondendo às seguintes questões:

  1. captacao recursos questionQual é o problema que o projeto objetiva combater ou resolver?
  2. Qual é o “mercado” no qual estamos inseridos? Que outras organizações dedicam-se à mesma causa?
  3. Quais são os objetivos específicos deste projeto?
  4. Quais são as metas que desejamos atingir para cada um dos objetivos específicos?
  5. Que estratégias foram escolhidas para atingir as metas? Isto é, qual o método escolhido para realização do trabalho?
  6. Que atividades são necessárias para colocar em prática a estratégia escolhida? É importante detalhar ao máximo as atividades.
  7. Quais são os recursos necessários para a realização de cada uma destas atividades?
  8. Onde podemos buscar estes recursos?

À medida que o plano vai sendo detalhado, fica mais fácil perceber onde estão as oportunidades de captação de recursos, quem são os parceiros mais adequados para cada uma das necessidades que a organização tem, quem são as pessoas mais adequadas para apresentar o projeto para cada um dos potenciais parceiros, em que época devemos iniciar a captação, etc.

O planejamento estratégico deve ser feito anualmente. Esta será uma ótima oportunidade para avaliar o que a organização conseguiu realizar naquele ano, o que mudou no mercado, que caminhos deram melhores resultados e que caminhos não levaram a lugar nenhum.

A revisão anual do plano é uma ferramenta de grande utilidade para a avaliação das estratégias escolhidas para captação de recursos.

Todos sabemos que as organizações sem fins lucrativos não têm uma estrutura administrativa grande e, desta forma, estamos sempre sobrecarregados com as atividades do dia-a-dia.

É natural que os gestores tenham muita dificuldade de dedicar alguns dias para discutir com a equipe os rumos que o projeto deve tomar, que toma tempo. Isso faz com que o planejamento estratégico muitas vezes seja visto como “perda de tempo” e que acabe sendo prorrogado e esquecido.

É a mesma coisa que acontece com tantos bons projetos: por não saberem direito que objetivos têm, que estratégias de atuação são mais adequadas, desperdiçam recursos fazendo várias tentativas diferentes e, como conseqüência, acaba por desmotivar parceiros que não conseguem ver com clareza como os recursos que doam para sua organização estão sendo revertidos em benefícios para a comunidade e para a solução de um problema no qual eles também acreditam e no qual querem investir.

Doar dinheiro é bom. Muitas pessoas e muitas empresas querem ter este prazer, mas cada vez mais, os parceiros se preocupam com o retorno que este investimento terá para a comunidade e querem doar os recursos para organizações que consigam provar que o utilizam da maneira mais eficiente.

Lembre-se que existem mais de 200 mil organizações sem fins lucrativos no Brasil (2005) e que, de certa forma, estamos concorrendo com outras organizações na busca de recursos.

Alguns dias de planejamento estratégico podem fazer muita diferença neste processo e, acredite, além de facilitar muito a captação de recursos e a manutenção de parceiros estratégicos, também trará para você e para a sua equipe uma satisfação maior no trabalho quando puderem saber como cada uma das atividades que vocês desenvolvem no dia-a-dia está contribuindo para se atingir metas estipuladas.


logo atencao Quem for mais eficiente, tem maior probabilidade de ter parceiros mais fiéis!

 

Captação de Recursos

 

 

logo fundraising


Captação de Recursos

Fonte: Manual Turismo de Aventura - Busca e Salvamento
Autor: Roberto M.F. Mourão, EcoBrasil

 

"Captação de Recursos é o processo de solicitação de apoio financeiro (geralmente como doações) por uma causa não comercial." (Process of soliciting financial support - usually as grants, for a non-commercial cause.) Business Dictionary
          


Relação Captador-Doador

captacao recursos o quePara tornar pessoas e empresas doadores fiéis, uma das primeiras coisas é pensar que tipo de benefício você pode oferecer em contrapartida. É um pouco a co-responsabilidade também. Vocês me ajudam financeiramente e eu também dou algum tipo de retorno, mesmo que seja apenas o impacto social que eu causo.

O doador se sente feliz por doar não porque ganha uma camiseta, mas porque possibilita o atendimento de 1000 crianças no hospital. O benefício não obrigatoriamente vai fazer a pessoa continuar doando, mas ele tem o papel de fidelização. Porque você acaba mantendo um contato mais constante com o seu doador. Ter uma prática de retorno é importante, como enviar relatórios.

 

O que querem, esperam e valorizam os Doadores

Nos processos de captação é importante estar ciente do que os grupos de interesses envolvidos na relação captação-doação querem, esperam e valorizam:

Governos

  • gestão idônea e responsável
  • menções públicas elogiosas ao projeto
  • número de pessoas atendidas
  • registros e documentos
  • relatórios de avaliação de impacto
  • relevância do serviço para a comunidade e/ou meio ambiente
  • serviço que complementa política pública
  • transparência na prestação de contas

Indivíduos (doadores / voluntários)

  • identificar-se com a causa
  • desejo de fazer algo importante pela comunidade
  • exercício de cidadania e de solidariedade
  • participação voluntária em projetos próximos de sua casa
  • transparência e prestação de contas
  • reconhecimento por sua contribuição
  • resultados concretos

Imprensa

  • qualidade nas informações
  • disponibilidade para dar informações em qualquer circunstância
  • credibilidade da organização
  • relevância social do serviço prestado
  • precisão nos dados e fontes qualificadas
  • capacidade de gerar fatos realmente importantes para a sociedade

Comunidade

  • identificar-se com a causa
  • idoneidade e transparência
  • relacionamento tranqüilo e harmonioso.
  • resultados concretos traduzidos em benefícios para as pessoas
  • serviço com evidente relevância ambiental e/ou social e com impacto positivo junto aos vizinhos

Empresas

  • visibilidade
  • qualidade e impacto relevante dos serviços.
  • retorno de imagem junto à sociedade
  • adequação aos seus projetos de investimento na comunidade
  • exercício da responsabilidade ambiental e/ou social
  • boa imagem pública e eficiência na gestão
  • motivação dos funcionários
  • projetos com bom custo-benefício

Fundações

  • visibilidade
  • projetos bem elaborados
  • identificar a causa com sua missão
  • idoneidade, capacidade de gestão e transparência
  • comprovação de resultados a partir de sua contribuição
  • contrapartidas claras e condições de sustentabilidade dos projetos depois de suspensa a contribuição

Organizações Parceiras e Captadoras

  • trocar informações e experiências
  • fazer ações conjuntas com benefícios conjuntos
  • agregar valor associando-se a outras organizações com marca forte
  • realizar acordos de cooperação técnica
  • conhecimento, trabalho voluntário
  • transparência, cumprimento de compromissos
  • visibilidade e recursos

 

Captação de Recursos